4ª Bienal do Livro de São José do Rio Preto


Está sendo realizada em São José do Rio Preto, a 4ª Bienal do Livro, que vai do dia 30 de abril, ao dia 9 de maio. A Bienal que marca presença na Swift, localizada perto da Represa Municipal, conta com palestras, exposições, amostras de cinema, e a presença de muitos artistas literários.

No último domingo, fui conferir a Bienal, e logo de cara vi que neste ano a organização da maior feira literária do Noroeste paulista supera, e muito, a do ano passado, que foi realizada na Biblioteca Municipal, um lugar menor, menos arejado, e sem os eventos que estão sendo realizados este ano.

Logo que cheguei na Swift, caminhei um pouco pelas
stands de livros, e para meu agrado encontrei vários clássicos da Língua Portuguesa a preço de banana, literalmente. Acabei comprando a obra Dom Casmurro, do grande Machado, por apenas (imaginem só!) R$ 3,00. Apenas, três contos, minha gente! Fiquei ultra feliz, e carreguei meu livro de capa estampada com os olhos oblíquos de Capitu, até o início da Palavra em Cena, com a presença de Antônio Calloni, e a leitura de poemas feita pelo próprio.


No horário marcado fui até o espaço reservado para a palestra. O salão já estava lotado, e consegui sentar em uma das últimas cadeiras. Logo em seguida, o ator e poeta Calloni, entrou no recinto, sentou-se numa cadeira colocada em cima do palco, e fez a leitura dramática de diversos poemas de sua autoria. Vários temas foram abordados, dentre eles: o universo infantil, a maternidade, a própria poesia, e claro, o amor.


A palestra durou cerca de quarenta minutos, e logo após, houve uma entrevista com o palestrante, e uma bateria de perguntas feitas pela platéia. Assim que a Palavra em Cena chegou ao fim, fui correndo até Antônio Calloni, a fim de conseguir um autógrafo ou foto. Eu era a última da fila, e tinha em mente uma pergunta sobre o filme Anjos do Sol, filme este que revelou Calloni para mim, como um dos grandes atores brasileiros.

A fila andou, e minha vez chegou. Câmera numa mão, papel e caneta em outra, e uma pergunta formulada, reformulada e mastigada diversas vezes em minha mente. Distrai-me um pouco, e quando o vejo, ele estava indo embora com uma mochila nas costas. Pedi uma foto, enquanto agitava a câmera no ar, e ele, muito simpático, atendeu meu pedido, tirou uma foto comigo, e com meus amigos, e ainda autografou minha agenda. Cheia de alegria, me esqueci da pergunta, e fiquei ali parada, esperando uma nova Bienal, para uma nova palestra com o grande ator, e poeta Calloni.

Além da presença de Calloni, a 4ª edição da Bienal do Livro, contará com a presença de Pedro Bandeira, hoje à noite às 19:00 hrs, Augusto Cury amanhã, Professor Pasquale Cipro Neto na quinta, Moacyr Scliar na sexta-feira, e no sábado Zé do Caixão e Mário Prata, além de muitos outros. Para conferir a programação completa da 4ª Bienal do Livro em São José do Rio Preto, acesse: http://www.bienalriopreto.com/

Vale a pena também dar uma olhada no site de Antônio Calloni: http://www.antoniocalloni.com/
Confira, e boa leitura!

5 comentários:

Erick Macau disse...

eu amo estar rodeado por livro, seja sebo, biblioteca, livraria ou bienal
hauhauhauhaa
aqui no Rio a próxima bienal é ano que vem
*já ansioso por demais da conta

abraços libertários

Anônimo disse...

Mais quem foram esses seus amigos que foram com vc ? foi tao mal acompanhada que é melhor nem citar nomes ?

Nayara Marques disse...

HOSHIAOPHSOIHAOISHOIAHSOI, Elson, sai da anonimidade, pô.

Pedro disse...

Querida Nayara, muito obrigado pelo carinho. Espero te encontrar na próxima Bienal. Saúde, sorte e beijos, Calloni.

Rafael disse...

ah, que legal, não sabia que ele era poeta!
Abraço