Adentrando o Universo Masculino

Rob é um cara que vive em Londres, tem trinta e cinco anos e ama música pop. Primordialmente é isso o que todos nós devemos saber sobre ele: ele ama música pop. Música está em sua essência, em suas estantes, em sua mente. Rob é tão apaixonado por música, que largou a faculdade para viver dela. Ele vende música, no sentido literal da palavra. Rob Flemming é dono de uma loja de discos.
Além da música, o londrino tem outra, digamos, mania: fazer lista das 5 melhores ou piores coisas de todos os tempos (ex: lista das melhores músicas do lado B do disco de Johnny Cash, lista dos melhores livros, etc). Rob ama listas, e aprendeu a fazê-las com seus dois amigos: Dick e Barry, que trabalham em sua modesta loja de vinyl, frequentada por uns poucos, porém assíduos, clientes.


Tanto Rob, como Dick ou Barry, são personagens da obra-prima de Nick Hornby: Alta Fidelidade, livro este que retrata as neuras, as dúvidas, as angústias, as inseguranças, o medo do compromisso e as encanações sobre sexo, além de conter vários outros tópicos do universo masculino. Mas, se engana quem pensa que é só um livro para machos. O livro agrada mocinhos e moçoilas, e te faz viajar por entre prateleiras de discos, por entre os bares de Londres, e pela vida do encantador Flemming, que logo de início recebe um pé na bunda de sua namorada Laura. Contudo, Rob não permite que esta separação seja em vão: corre para fazer uma lista de suas cinco piores separações de todos os tempos, lista esta que podemos conferir logo na primeira página do romance.


Neste universo masculino, de cigarros, música alta e amores, Rob se sente na "obrigação" de reviver seu passado, se quiser reconquistar sua amada Laura. E é nesta jornada que Hornby nos leva, fazendo-nos adentrar pelos pensamentos de Flemming, em suas loucuras e neuras, enquanto caminhamos e curtimos um som, em sua decadente loja de vinys londrina.

O romance também foi parar nas telonas, e vale a pena ser conferido. John Cusack está na pele de Rob e Jack Black dá vida ao rabugento Barry. O longa também conta com a atuação de Catherine Zeta-Jones, que vive Charlie Nicholson, ex-namorada de Rob.

Alta Fidelidade é para todos aqueles que essencialmente amam música, e que principalmente apreciam um bom livro.

4 comentários:

Bill Falcão disse...

Excelente resenha sobre "Alta Fidelidade", Nayara! Vi o filme anos atrás, mas me recordo bem dele, gostei demais.
Grato por sua presença lá no jornal e volte sempre, beleza? Troco as postagens a cada fim de semana, geralmente.
Bjooo!!

Juliana Oliveira disse...

Sério:? Não acre, sou muito fã do cusack por causa de 1408 que é baseado no livro de stephen king. CARACA!!! Tipo, o autor de alta fidelidade lançou um novo livro muito show, Juliet nua e crua. Tipo, sua crítica ficou muito boa. Mesmo. Amo seus posts, como temos coisa em comum!!!Bjãoooo

lolla ramona (: disse...

oooi, adorei o blog ;
estou seguindo se quiser retribuir ;
um ótimo final de semana, baiser ;*

Rafael disse...

Hum, parece ser bem interessante o filme, vou procurar...
bjs